Arte-Terapia

A Arte-Terapia, no contexto psicoterapêutico, assenta na interação entre o sujeito (criador), o objecto de arte (criação) e o terapeuta (receptor).
A experiência artística pode intensificar a expressão de vivências, bem como incrementar a consciencialização sensorial e do equilíbrio estético. A expressão mediada possibilita também a mobilização de pulsões reprimidas, facilitando assim uma vida psicológica mais livre. Imagens de transformação e mudança, representadas nas criações artísticas, dão expressão à função reparadora, no decurso do processo terapêutico.
O recurso à imaginação, ao simbolismo e a metáforas enriquece e incrementa o processo.
A Arte-Terapia, utiliza como mediadores Pintura, Desenho, Modelagem, Escultura, Colagens, Drama e Jogos Dramáticos, Marionetas, Jogo de Areia, Expressão Corporal, Música, Canto, Poesia, Escrita Livre Criativa e Contos.
A expressão artística é central nesta psicoterapia e tem uma função cognitiva, fornecendo ao sujeito informações sobre si próprio e ao Terapeuta um registo do processo evolutivo do paciente.
Na arte-terapia o objeto de arte não interessa pelo seu valor informativo, ou mesmo estético, mas sim pelo seu valor como mediador da expressão, como veículo de elaboração e como ensaio do processo criativo. O contexto da criatividade não é usado para análise. O foco desta situar-se-á na relação terapêutica.